Bom dia, hoje é sábado 23 de Março de 2019

Segundo FIRJAN, Paranaíta tem um dos melhores índices de gestão fiscal do país
Publicado em: 23/03/2017 ás 07:39:00
Fonte: Agência de Notícias da AMM

Paranaíta obteve o quarto melhor índice de gestão fiscal do país, de acordo com levantamento realizado pelo Sistema Firjan – Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. O resultado é baseado em informações repassadas pelas prefeituras de todo o país à Secretaria do Tesouro Nacional. Os dados foram divulgados em julho do ano passado e se referem ao ano de 2015.

O prefeito Antônio Rufatto disse que o destaque nacional foi uma honra para o município, ainda mais considerando as dificuldades financeiras da maioria das prefeituras do país. “Recebemos a notícia com grande satisfação, pois administramos com muita responsabilidade, visando ao equilíbrio financeiro e a aplicação eficiente do dinheiro público”, assinalou. 

O município obteve o índice 0,869, baseado nos seguintes indicadores: receita própria gerada pelas prefeituras, com ISS, IPTU e ITBI; gasto com pessoal; investimentos; liquidez de caixa e custo da dívida.

Rufatto, que foi reeleito, disse que espera que este mandato também seja promissor. “Estamos otimistas, esperando que o período de 2017 a 2020 seja igual ou melhor que os quatro últimos anos”, frisou.

Para repetir o sucesso do mandato  passado o prefeito está buscando alternativas para melhorar a eficiência da gestão. O aumento da arrecadação é uma das prioridades, considerando que é fundamental para fazer investimentos e  atender as demandas  da população.

O prefeito esteve nesta quarta-feira (22) na Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM e se reuniu com a coordenadora de Relações Institucionais, Lieda Rezende Brito, para obter informações sobre a arrecadação do município. “A AMM faz um acompanhamento da arrecadação municipal e está sempre atenta a quedas e oscilações nas receitas para informar os gestores”, ressaltou Lieda, destacando a importância de o prefeito estar empenhado em melhorar a gestão financeira da administração municipal.

De acordo com informações repassadas ao prefeito, o Índice de Participação do Município – IPM para 2017 sofreu uma queda de 5%, o que representa cerca de R$ 40 mil a  menos nos cofres da prefeitura todo mês. O IPM, que é o índice que determina o valor a ser repassado do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS às prefeituras, é divulgado anualmente pela Secretaria de Estado de Fazenda. O reflexo dessa queda está sendo sentido desde janeiro deste ano, com tendência a acentuar a partir do próximo ano. Preocupado com a situação, o prefeito está buscando alternativas para aumentar a arrecadação própria, visando a não sofrer os impactos na queda de receita.

Prioridades - Além do aumento da arrecadação, a administração também estabeleceu outras prioridades para este mandato, como pavimentação asfáltica, construção de escola e conclusão de hospital com 42 leitos que já está em construção, entre outros.

Nos três primeiros meses de gestão, o prefeito realizou a reforma administrativa da prefeitura, reduzindo a quantidade de secretarias de 14 para sete, visando a reduzir custos e instituir uma administração mais técnica.

O gestor disse que pretende participar mais das atividades da AMM e destacou a importância do trabalho desenvolvido pela Associação como entidade representativa dos municípios mato-grossenses. “Sempre fui bem atendido na AMM e vou procurar estar mais presente na instituição, que é muito importante para o fortalecimento dos municípios”, afirmou.

Notícias relacionadas