Bom dia, hoje é terça-feira 25 de Junho de 2019

Sargento da PM ensina xadrez para crianças e adolescentes em Paranaíta
Publicado em: 06/05/2019 ás 13:59:00

Aulas de como mover as peças de um jogo de xadrez em um tabuleiro e vencer o adversário, com o famoso ‘ xeque – mate’, vem sendo oferecidas por um sargento da Polícia Militar a crianças e adolescentes em Paranaíta.  

Há duas semanas, o sargento Alexandre Pereira Batista, 42 anos, lotado no 4º Pelotão de Polícia Militar de Paranaíta vem compartilhando o que sabe sobre a prática esportiva individual do jogo de xadrez com dez crianças e adolescentes, entre 10 e 14 anos de idade, atendidas pelo Centro de Referencia da Assistência Social (CRAS).   

“Estamos mostrando para os jovens que o xadrez não é um esporte elitizado, que basta dedicação e interesse. Muitas pessoas acham que jogar xadrez é difícil, mas não é. Eu passo isso para os alunos, tento quebrar esse mito. O xadrez vem transformando a vida dos alunos, porque trabalha a auto-estima, a atenção e a paciência.  Essas crianças e adolescentes estão em situação de vulnerabilidade social, então, poder oportunizar conhecimento com elas é gratificante ”, explica o sargento.

Sargento Batista conheceu o xadrez ainda na adolescência, por meio do irmão que aprendeu na escola. Na época sem dinheiro para comprar livros para aprender mais detalhes sobre o jogo, o policial buscava conhecimento sobre a modalidade em livros na Biblioteca Municipal de Cuiabá a pé.

“Naquela época não era permitido tirar cópia dos livros e como eu queria aprimorar para jogar xadrez, eu copiava a mão as instruções. Um dia copiei em um caderno grande 20 páginas da Enciclopédia Mirador volume 20, tudo para aprender. Eu sempre conto essa história de  esforço inicial  para os alunos, hoje eles têm internet e canais de vídeos para aprimorar. Alguns já buscam aprender mais sobre xadrez e isso me deixa muito feliz”, conta o sargento.

O Comandante do 9º Comando Regional de Alta Floresta, tenente-coronel Adenilson  de Arruda frisa que a iniciativa de ajudar as crianças e adolescentes do CRAS partiu do próprio sargento Batista que já ensinou em outras ocasiões alunos de algumas escolas durante os atendimentos de ronda escolar.

“As crianças gostaram tanto da iniciativa com as aulas de xadrez que estamos pensando em colocar no papel e transformar em projeto amplo para atender mais pessoas. Essas ações aproximam a sociedade da polícia militar, o que nos ajuda a prevenir a criminalidade e fortalece os laços entre a PM e a comunidade local”, afirma o tenente–coronel.

Notícias relacionadas