Bom dia, hoje é segunda-feira 18 de Fevereiro de 2019

Mais da metade dos acidentes de trânsito registrados em MT em 2018 envolveram motociclistas
Publicado em: 29/01/2019 ás 08:43:00 Autor: G1 MT

Mais da metade dos acidentes de trânsito em Mato Grosso envolveram motociclistas entre janeiro e dezembro do ano passado, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública (Sesp).

Dos 17.973 acidentes registrados em 2018, 9.407 foram com envolvimento de motocicletas, o que corresponde a 52% do total.

A Sesp, junto com a Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), desenvolve ações educativas, de prevenção e repressão com os motoristas do Estado.

De 2015 a 2018, foram 192 operações lei seca realizadas em 16 municípios, que resultaram em 696 motoristas presos, a maioria por dirigir sob influência de álcool. Outros 2.880 Autos de Infração de Trânsito (AIT) foram confeccionados por irregularidades do condutor ou veículo.

Os principais índices de acidentes em 2018 no estado foram colisão (6.460), colisão lateral (5.577), choque (1.910), atropelamento (688), capotamento (551), tombamento (450) e atropelamento de animais (325).

O coordenador do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Sesp, Rafael Dias Guimarães, destacou algumas atitudes dos condutores que resultam em acidentes.

“A embriaguez ao volante, a alta velocidade e o uso do celular enquanto dirige são atitudes que impedem um trânsito seguro”, destacou.

As infrações as leis de trânsito também oneram os cofres da saúde pública. De acordo com dados do Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS), da Secretaria Municipal de Saúde, somente em Cuiabá, de janeiro a julho de 2018, foram registradas 1.326 internações por acidentes. Deste número, aproximadamente 80% das internações foram no Pronto-Socorro do município, o que gerou um custo de R$ 1 milhão de procedimentos hospitalares.

“Temos realizado operações com viés educativo para orientar os motoristas sobre a importância de obedecer às leis de trânsito. Práticas diárias como o uso do cinto de segurança e uso de capacete podem salvar vidas”, enfatizou o major.

Notícias relacionadas