Bom dia, hoje é domingo 22 de Julho de 2018

Janeiro Branco: mês da prevenção em saúde mental e emocional
Publicado em: 12/01/2018 ás 16:34:00 Autor: Juliana de Oliveira
Fonte: rondoniagora

“Quem cuida da mente, cuida da vida.”. Esse é um dos principais temas da campanha Janeiro Branco, idealizada pelo psicólogo Leonardo Abrahão. A campanha está em sua 5ª edição e tem como objetivo conscientizar as pessoas e instituições sobre a importância da saúde mental e emocional. 

Conforme levantamento feito pela equipe Janeiro Branco, estudos apresentados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e Ministério da Saúde do Brasil indicam que o Brasil tem experimentado um crescimento vertiginoso das problemáticas relativas à saúde mental/emocional dos indivíduos e da sociedade como um todo. E segundo a OMS (dados de 2017), a sociedade brasileira é a recordista latino americana em casos de depressão, a campeã mundial em relação à ansiedade e o 4º colocado em relação ao crescimento das taxas de suicídio entre os jovens da América Central e da América do Sul.

Além disso, os altos índices de violência (em domicílios, no trânsito ou em escolas), criminalidade, suicídios, alcoolismo, drogadição, depressão, preconceitos, entre outros, colocam em risco o equilíbrio mental, emocional, comportamental e relacional dos indivíduos da nossa sociedade.

Outros exemplos de situações em que podemos observar como está nossa saúde mental são: 

• Quando queremos falar sobre algo importante e não nos sentimos acolhidos, o que pode gerar sentimentos de tristeza e não pertencimento ou pensarmos que não temos importância; 
• Quando nos sentimos inseguros com frequência e evitamos fazer parte de situações que nos causem essa sensação;
• Deixar de comer ou comer demais por estar ansioso ou por medo de não se encaixar em padrões sociais;
• Sentir os músculos tensos e doloridos, o que pode ser um reflexo de momentos de ansiedade e nervosismo. 

Tudo isso envolve emoções, sentimentos e comportamentos e ter a consciência dessas características pode nos ajudar a agir, não como pessoas perfeitas, mas da melhor maneira possível e a aprender cada vez mais sobre a nossa essência e nossas capacidades. Falar sobre nossa saúde mental e emocional é essencial para que possamos ser mais responsáveis conosco e com os que estão a nossa volta.

Uma expressão em destaque usada na campanha é a Psicoeducação, que significa transmitir conhecimento acerca das questões psicológicas e subjetivas que nos regem, para evidenciar a saúde mental e dar oportunidade para que a saúde emocional seja tão consciente quanto a saúde física. Mostrar que é possível identificarmos quais as nossas dores subjetivas e trabalhá-las para nos sentirmos melhores, assim como identificamos e buscamos tratamento para dores físicas.

Como forma de expandir esses conceitos são promovidos gratuitamente em várias cidades do Brasil uma diversidade de eventos como, palestras, encontros, minicursos, caminhadas, piqueniques e outras formas de integração para tornar as questões mentais, sentimentais, emocionais, relacionais e comportamentais, que envolvem nossa vida, mais conscientes.
Se você se interessar pela campanha entre em contato com um psicólogo e o convide para fazer uma apresentação sobre Saúde Mental e Emocional. Pode ser no seu trabalho, na sua igreja, na sua célula, em uma reunião de amigos, em sala de aula, para crianças, jovens, adultos e idosos. Lembrando que essa ação deverá ser feita de modo gratuito.

*A autora é psicóloga, formada pela Universidade Federal de Rondônia – UNIR. Especialista em Gestão Organizacional e de Pessoas. Atende atualmente na Fábrica de Competências em Porto Velho.

Notícias relacionadas