Bom dia, hoje é domingo 23 de Setembro de 2018

Em Paranaíta: Unidade Demonstrativa testa 17 variedades de feijoeiro para a agricultura familiar
Publicado em: 13/03/2018 ás 16:04:00 Autor: Rosana Persona
Fonte: Empaer-MT

Com a finalidade de auxiliar a diversificação alimentar na agricultura familiar, 17 variedades de feijoeiro comum são testadas em Unidade Demonstrativa (UD) instalada na propriedade dos agricultores Osvaldo e Ivone Becker, no sítio Rondon, localizado na comunidade Cascata, em Paranaíta (851 km a Norte de Cuiabá). A UD foi instalada em uma área de 800 metros quadrados com as variedades de feijoeiro e sete grupos diferentes, tais como carioca, rajado, roxo e preto.

Donos de uma área de 63 hectares, Osvaldo e Ivone já cultivaram feijão e vão testar variedades de feijoeiro que melhor se adaptem às condições de cultivo da região. Com um plantel de 60 vacas leiteiras e uma produção de 100 litros de leite por dia, o cultivo de feijão vem somar e gerar renda à propriedade. O produtor Becker produz há mais de 30 anos e a UD irá trazer informações e técnicas para serem aplicadas no cultivo do feijão com tecnologia para gerar mais produtividade e lucro.

 A Unidade Didática foi implantada pela Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), em parceria com a Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Agricultura e os agricultores. Os materiais são provenientes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Instituto Agronômico de Campinas (IAC).

As variedades cultivadas são a BRS Estilo, BRS Madrepérola, BRS Radiante, Agronorte ANFC 09, TAA Dama, IAC Alvorada, BRS Sublime, TAA Gol, BRS Perola, BRS Notável, IAC Netuno, BRS Esteio, BRS Artico, BRS Executivo, Jalo Precoce, BRS Pitanga, BRS Embaixador. Os técnicos Agropecuários Tarcísio Cuchi (Empaer), Marcelo Soares de Oliveira (prefeitura) e o engenheiro agrônomo da Empaer Thiago Tombini estão fazendo o acompanhamento e a implantação da cultura.

O técnico agrícola da Prefeitura, Marcelo Soares, ressalta que cultivar seu próprio alimento pode significar maior segurança e saúde, e que após a colheita poderão replicar as sementes e distribuir para mais produtores do município que tiverem o interesse em cultivar o grão. O técnico agropecuário da Empaer Tarcísio Cuchi esclarece que está sendo feito todo o acompanhamento técnico e os produtores recebem orientações sobre época de plantio, espaçamento, controle de pragas e doenças.

Thiago explica que com estes materiais genéticos será possível resgatar tradições, além de gerar renda. As variedades BRS Pitanga, BRS Jalo Precoce e BRS Ártico têm alto valor comercial na região e são vendidas acima de R$ 600,00 o saco de 60 quilos. “Esses materiais genéticos são biofortificadas apresentam melhor qualidade e aumento nutricional”, enfatiza.

O pesquisador da Empaer, Valter Martins de Almeida, ressalta que para difundir a cadeia produtiva do feijão, o trabalho vem sendo realizado em conjunto com a pesquisa, extensão rural e o produtor. A agricultura familiar responde por cerca de 10% da área de produção do feijão em Mato Grosso. Conforme Martins, existe um projeto desenvolvido pela Empaer que está em execução há 30 anos para difusão da cultura do feijoeiro.

Ele destaca que a vantagem do pequeno produtor investir no cultivo deste grão é a produção para consumo próprio e venda do excedente, incluindo para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Notícias relacionadas