Bom dia, hoje é segunda-feira 18 de Fevereiro de 2019

Controladora interna do município de Carlinda é nomeada diretora da região norte da AUDICOM
Publicado em: 08/02/2019 ás 13:02:00 Autor: Leia Agora

A con­tro­la­dora in­terna do mu­ni­cípio de Car­linda, Pa­mela Eger, foi no­meada di­re­tora da Re­gião Norte da As­so­ci­ação dos Con­tro­la­dores e Au­di­tores In­ternos Mu­ni­ci­pais de Mato Grosso (AU­DICOM-MT). Com a respon­sa­bi­li­dade de re­pre­sentar os co­legas da ca­te­goria dos mu­ni­cí­pios da re­gião, Pa­mela passa a ter repre­sen­ta­ti­vi­dade es­ta­dual na luta pela de­fesa das prer­ro­ga­tivas do agentes do con­trole in­terno.

leque de atri­bui­ções do con­trole in­terno é amplo, pois ele é res­pon­sável por acom­pa­nhar todos os sistemas ad­mi­nis­tra­tivos im­plan­tados, re­a­li­zando ainda, a fis­ca­li­zação con­tábil, fi­nan­ceira, or­ça­men­tária, operaci­onal e pa­tri­mo­nial, au­xi­li­ando o con­trole ex­terno na missão ins­ti­tu­ci­onal”, ex­plica a con­tro­la­dora.

Apesar de o con­trole in­terno ser uma exi­gência desde a pro­mul­gação da Cons­ti­tuição Fe­deral (1988), somente em 2007, por meio da Re­so­lução 01/​2007 do Tri­bunal de Contas do Es­tado de Mato Grosso (TCEMT) é que passa a ser exi­gido dos mu­ni­cí­pios, tanto dos po­deres Exe­cu­tivo e Le­gis­la­tivo, a exis­tência dos con­tro­la­dores e au­di­tores in­ternos.

“A efi­ci­ência na atu­ação do Órgão de Con­trole In­terno, de­pende muito da in­tenção dos ges­tores, pois um Órgão Cen­tral de Con­trole In­terno so­mente con­segue a sua ple­ni­tude se ele for de­vi­da­mente es­tru­tu­rado, com re­cursos hu­manos em nú­mero su­fi­ci­ente, com ca­pa­ci­tação cons­tante, com es­tru­tura fí­sica, mo­bi­liária e tec­no­ló­gica ade­quada e com re­mu­ne­ração com­pa­tível ao nível de res­pon­sa­bi­li­dade”, de­fende Pa­mela.

Para a di­re­tora da Re­gião Norte da AU­DICOM, o bom gestor tem cons­ci­ência de que o con­trole in­terno é seu prin­cipal aliado na pro­moção de po­lí­ticas pú­blicas, en­quanto que o mau gestor, com in­te­resses não repu­bli­canos, taxam os res­pon­sá­veis por esse tipo de con­trole como ini­migos e trai­dores.

“Existem atu­al­mente em âm­bito in­terno muitos con­tro­la­dores sendo for­te­mente as­se­di­ados no am­bi­ente de tra­balho, sendo de­mi­tidos através de PAD´s (Pro­ce­di­mentos Ad­mi­nis­tra­tivos Dis­ci­pli­nares) re­ves­tidos de ilega­li­dade e sendo hu­mi­lhados cons­tan­te­mente por exercer sua função de as­ses­so­ra­mento a Ad­mi­nis­tração Pú­blica de forma im­par­cial”, as­se­vera a con­tro­la­dora.

A AU­DICOM, por sua vez, existe desde 2012, mas foi fun­dada for­mal­mente so­mente em 2014. Desde então a as­so­ci­ação tem lu­tado para ga­rantir que o con­trole in­terno nos mu­ni­cí­pios seja pra­ti­cado de forma autônoma e com li­ber­dade. Na gestão 2019-2020, a en­ti­dade está sob a pre­si­dência do con­tro­lador in­terno de Ron­do­nó­polis, An­gelo Silva de Oli­veira.

A di­re­toria da as­so­ci­ação conta também com a vice-pre­si­dente Alyna Fer­reira Amaral, que é Con­tro­la­dora do mu­ni­cípio de Santo Afonso, 1º te­sou­reiro Adriano Garcia da Costa, de Santo Antônio do Le­verger, 2ª te­soureira é Katia Re­gina da Silva, con­tro­la­dora do Poder Le­gis­la­tivo de Api­acás. A se­cre­tária-geral é Lis­laine Lau­rindo, au­di­tora de Campo Verde. O di­retor de ética é Eloir Luiz Pa­dilha, de Bom Jesus do Ara­guaia e o Di­retor-Geral é o au­ditor Jo­nathan da Silva Telles, de Ipi­ranga do Norte.

Além de Pa­mela, também foram no­me­ados di­re­tores re­gi­o­nais os con­tro­la­dores Robson Má­ximo da Costa, de Cá­ceres, e que di­ri­girá a re­gi­onal Oeste, o con­tro­lador in­terno de Pri­ma­vera do Leste, Le­o­nardo Luiz Artuzi, que está res­pon­sável pelo re­gi­onal Leste, Elias André de Lima, di­retor re­gi­onal do Ara­guaia, que é de Gaúcha do Norte, e Cris­tiano Viana, que é con­tro­lador da Re­gião Sul e con­tro­lador in­terno de Pedra Preta.

Notícias relacionadas