Bom dia, hoje é segunda-feira 20 de Maio de 2019

Café começa a ganhar espaço em MT e área destinada ao grão aumenta 25,4%
Publicado em: 19/03/2019 ás 10:20:00
Fonte: RD NEWS

área destinada à produção de café em Mato Grosso será 9,3% maior este ano, se comparada com igual período de 2018, o que deverá render entre 112 mil e 116 mil sacas. Considerando todo o parque cafeeiro do Estado, entre área em formação e em produção, são 28,6 mil hectares cultivadas com grão, um aumento de 25,4% na comparação com o último ano, quando eram 22,8 mil hectares. Os dados fazem parte de levantamento realizado pela Conab.

A área em formação, onde os pés de café ainda estão crescendo e não estão em fase de produção, chegará a 8,8 mil hectares este ano, 4,6% maior que em 2018, quando eram 8,4 mil (ha).  Já a área em produção será de 19,7 mil (ha) ante 14,3 mil (ha), um aumento significativo de 37,7%.

“A produtividade média esperada para essa safra é na ordem de 11,21 sacas por hectare, representando um pequeno aumento de 0,5% em relação a 2018. Já a produção estimada tende a apresentar crescimento de 8,3 a 11,6% quando comparada àquela verificada na temporada anterior”, apontam os técnicos da Conab.

Segundo a Conab, há registros de incidência de pragas em municípios como Juína, Cotriguaçu, Colniza e Juruena, que poderá acarretar em perdas na produção. O inseto que está preocupando os cafeicultores é a Cochonilha das Rosetas, que se alimenta da seiva das plantas de café e reduz diretamente o potencial produtivo.

“A praga permanece alocada próxima às raízes da planta e no solo durante boa parte do ciclo, e, por volta de agosto e setembro, a cochonilha migra das raízes para parte aerea da planta, alojando-se nas flores e chumbinhos. Nessa fase o controle da praga se torna problemático devido à localização entre os frutos que o inseto ocupa, ficando bem agrupado onde se formam as rosetas, dificultando a ação curativa”, explica o relatório.

Apesar disso, contribuindo para a elevação da produção de café em Mato Grosso, produtores rurais de Carlinda (762 km de Cuiabá) estão investindo na variedade BRS Outro Preto, desenvolvida pela Embrapa para a região Amazônica. São 50 hectares já cultivadas na região, cuja média de produtividade em 2020 deverá ser de 60 sacas por hectare, que é bem acima da média registrada no Estado com as culturas de café não adaptadas, que gira em torno de 11,2 sacas por hectare.

A colheita do café começa a ser realizada em abril e encerra em julho, sendo que junho é o principal mês de colheita, quando 55,6% da produção estimada deve ser colhida, no Estado, totalizando cerca de 63,7 mil sacas. 

 
Notícias relacionadas